sexta-feira, 28 de maio de 2010

Página 136 do Diário de Frida Kahlo

Se apenas eu tivesse as suas carícias em mim,
como o ar que toca a terra - a realidade da sua pessoa,
fazer-me-ia mais feliz, levar-me-ia para longe do sentimento que me enche de cinzento.
Nada em mim seria tão profundo, tão final.
Mas, como lhe explico a minha necessidade enorme de ternura! A minha solidão de anos.
A minha estrutura deformada devido à sua carência de harmonia, a sua inaptidão.
Eu penso que seria melhor partir, partir e não fugir.
Que tudo terminasse num instante. Oxalá.

Frida Kahlo.

Material enviado pela aluna Helena Cardoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desde já, agradeço seu comentário!